CASA PEQUENA COM GENTE GRANDE!
Às vezes, me pego pensando o que conseguimos em 14 anos de existência. Confesso que não deveria, mas me sinto orgulhoso do resultado obtido até hoje.
Não vou falar em números, apenas nas festas que montamos para as comemorações. Acho, sinceramente, que as três festas comemorativas do CANTO DA EMA em seus 14 anos resumem o que construímos nesse tempo todo.
A primeira festa será no dia 02/10 com a FALAMANSA, o que, para nós, é um grande orgulho. Foram eles quem inauguraram a casa junto com DOMINGUINHOS. Na ocasião, eles eram, talvez, o maior sucesso do país em vendagem de CDs e foram eles que quiseram tocar na estréia do CANTO DA EMA.
Desde então, a relação só foi se aproximando; eles cada vez mais amigos e nós cada vez mais admiradores do trabalho da banda. Eles sempre estiveram na discotecagem durante toda a existência do Canto e, no palco, sempre que puderam e a agenda permitia, sem nenhuma exigência absurda, topando ser uma banda gigante que toca em casa de forró. A parceria culminou este ano com a gravação do emocionante clip "Amigo Velho" feito aqui, para nosso orgulho e deleite.
A segunda festa, no dia 04/10, explica, de certa forma, o que é o CANTO DA EMA. Somos uma casa de forró, uma casa sem preconceitos, embora com conceitos muito definidos. Nós amamos o forró, fazemos dele as nossas vidas e aqui passamos a maior parte do nosso tempo. Para isso funcionar, precisamos ter no palco além de muito talento, grandes amigos e bandas excepcionais, como as 10 bandas que farão parte da festa, as quais, além de serem compostas por ótimos músicos, estes são todos muito queridos. São eles que fazem o ano do CANTO DA EMA. Se hoje somos uma das referências do forró muito devemos a eles. Quando digo que eles explicam o CANTO, é por demostrarem o que pensamos do ritmo: cada um com a sua característica, monta um mosaico lindo do que é o forró hoje, suas diferentes gerações, origens e influências e permite termos, em um mesmo gênero musical, trios e bandas tão diferentes e tão geniais como: BICHO DE PÉ, MESTRINHO, Ó DO FORRÓ, OS 4 MENSAGEIROS, PEIXELÉTRICO, RASTAPÉ, TRIO DONA ZEFA, TRIO MACAÍBA, TRIO SABIÁ e TRIO VIRGULINO.
Na verdade, haveria muito mais amigos e ótimos trios e bandas, mas a festa tem "apenas" 12 horas e tivemos que fazer opções, mas muita, muita gente mesmo, ficou de fora. A cena atual do forró é riquíssima e há muito trio e banda que adoraríamos ter na festa.
A terceira e última comemoração será com três nordestinos maravilhosos, duas paraibanas e um sergipano: ELBA RAMALHO, LUCY ALVES e MESTRINHO. Quando percebo que conseguimos juntar esses três nomes em um único dia, em uma casa de porte médio para pequeno, acho realmente incrível a nossa realização. É verdade que é uma festa beneficente e a vinda deles tem muito a ver com a questão e o objetivo a ser atingido, mas Elba já confessou diversas vezes que no CANTO DA EMA ela se sente em casa e exatamente por isso aceita se deslocar do Rio, no meio de uma sempre atribulada agenda de shows quase sempre com milhares de pessoas, para vir ajudar e encantar no CANTO DA EMA. Aqui, nossa diva nordestina se solta, canta o que lhe vem à cabeça ou na do público, pois a proximidade com este é muito maior do que em qualquer outro show dela.
LUCY ALVES está, por enquanto, no auge da carreira, auge esse que ainda está muito aquém de onde ela provavelmente chegará. A sanfoneira, bandolinista, pianista, cantora e sabe-se lá que outros talentos ela reúne, volta ao CANTO também no meio de sua agenda concorrida. Ela vem ajudar Elba nos lindos propósitos de seus shows beneficentes, mas topa vir, também porque o CANTO DA EMA é próximo dela; o Clã Brasil, sua banda familiar, já era frequentadora da casa bem antes do mega sucesso da menina morena.
Do MESTRINHO temos pouco a falar, o melhor mesmo é ouvi-lo. Ele é da casa, já faz muito tempo toca regularmente e temos quase certeza que grande parte dos seus shows solos foram feitos aqui. Ele, que é uma das grandes revelações da música brasileira, vem reencontrar sua grande mentora, ELBA RAMALHO e sua amiga, admirada e admiradora LUCY ALVES, para compor um trio para lá de especial na festa do CANTO DA EMA.
É realmente muita coisa para uma casa tão pequena. Escrevendo isso sinto o ombro pesar: a responsabilidade de lidar com todos esses eventos, na árdua trilha do forró, na recepção de tantos e tantos nomes tão expressivos e nos nossos objetivos de chegar cada vez mais longe e em uma duração muito maior, o que nos dá um certo medo. Mas estamos fazendo o que gostamos e tudo acaba dando certo, muito porque as relações são sinceras, com os funcionários, o público, esses músicos todos e, principalmente, com o FORRÓ!
Paulinho Rosa  (Out/2014)