NOTíCIAS ALVIÇAREIRAS

Noticias boas chegando: de um lado, teremos uma representante na curadoria da Virada Cultural de São Paulo; de outro, alguns importantes personagens do ritmo estarão, por um longo tempo, na emissora de maior repercussão do País.
Pouca gente soube, mas tivemos uma comitiva falando com o prefeito e o secretário de cultura a respeito de questões pertinentes ao ritmo e sua participação na vida cultural da cidade. Não foi uma comissão votada ou porta voz de todo o movimento, mas foi uma comissão de legítimos apaixonados e militantes do forró que se dispuseram a correr atrás de mais espaço na cidade para o ritmo.
A reunião foi ótima. Prefeito e secretário mostraram-se ótimos interlocutores, prestativos e interessados em nos proporcionar uma participação dentro da atual política de ocupação dos espaços públicos. Na reunião, muita coisa foi falada, muita coisa oferecida, muita coisa pedida e começamos a colher frutos: Anastácia, nossa rainha do forró, fará parte da curadoria da Virada, ou seja, se a deixarem falar, a música brasileira provavelmente terá mais espaço, com mais qualidade, já na próxima edição.
E não é que o Forró terá 3 representantes na próxima novela das 21:00hs? Nenhum dos três tocará ou cantará o ritmo durante o decorrer da trama, mas, de qualquer maneira, é um alento, uma visibilidade e uma proximidade maior com a emissora de maior repercussão no Brasil e com todo os telespectadores que ela atinge.
Se a grade da emissora, o conteúdo e o cuidado com a cultura brasileira são, em geral, duvidosos, o mesmo não se pode dizer da sua força e alcance. Alguns segundos valem mais do que várias horas em outras, minutos valem um dinheiro que raramente alguém do forró possui, por isso normalmente ouvimos números absurdos com relação aos Jabás que lendas contam a respeito de artistas que lá tocam. Quando pensamos que a novela das 21:00 horas tem um dos segundos mais caros da mídia brasileira, então é realmente de nos orgulhar a presença desses três representantes.
E quem são eles?
De Lucy Alves pouco tenho para dizer além do que já foi dito: linda, talentosa, carismática e com uma segurança que assusta, a menina toca a sanfona pro Brasil inteiro em pleno desfile de carnaval no Rio de Janeiro e nem treme, pelo menos não aparentemente para nós que a vemos pela telinha. Ela já vinha da experiência do The Voice e lá já impressionava e apaixonava quem a visse. Lucy virar artista Global era questão de tempo, a multi-instrumentista, agora atriz e forrozeira, chegou ao ponto mais alto de divulgação do país. Agora, segura essa menina!
Maciel Melo é um dos grandes poetas da cultura nordestina, compositor emocionante e emocionado, canta com verdade a verdade do nordeste. Sua voz cria em todos nós, mesmo os que nunca foram ao nordeste brasileiro, uma nostalgia sertaneja daquela coisa brejeira, doce, matuta, uma saudade de amor inocente, de verdade na fala e no coração. O timbre de sua voz é lindo, assim como o seu violão que o acompanha a cada composição. A vontade é de conhecer mais e mais o trabalho desse incrível artista e olha que tem coisa pra conhecer! Compositor incansável, tem inúmeros trabalhos gravados, onde passeia por várias nuances da nossa música mais brasileira, sem nunca esquecer o forró. Maciel é daqueles talentos que o Brasil precisa descobrir e que agora, finalmente, terá chance.
Xangai tem para mim uma importância crucial. Foi vendo um show dele, devida e maravilhosamente acompanhado de outros três cantadores violonistas, que me deparei de forma derradeira com a cultura nordestina. Foi durante o show Cantoria, que virou disco, em dois volumes, que conheci o próprio Xangai e mais Elomar, Geraldo Azevedo e Vital Farias; um momento que marcou e aprumou minha vida e que agora muita gente vai conhecer.
Xangai ou Eugenio Avelino é daqueles que chamamos de cantadores, ele é um gênio, tem um dicção impossível, um divisão comparável a Jackson e um repertório que vai das mais ternas e às vezes cortantes toadas aos mais animados forrós. Ouvir Xangai é algo inédito; é difícil compará-lo ou tentar explicar seu modo de cantar, até porque ele é muito diverso. O músico tem trabalhos incríveis como os que fez com o Quinteto da Paraíba, mas tem também o Cantoria de Festa onde se debruça no mundo de Gonzaga, Jackson e Dominguinhos e foi por onde ele fez um dos mais bonitos discos de forró que conheço.
A novela Velho Chico trará os três, volto a dizer, pelo que conversei com eles, nenhum deles cantará forró, mas estarão lá, por perto, mostrando a cara, fazendo sucesso, aparecendo pro Brasil todo e quando forem fazer seus shows pessoais cantarão forró, por que eles carregam o ritmo na veia e no coração, mostrarão àqueles que os admiraram um pouco mais daquilo que nós, amantes do ritmo, já conhecemos de cor.
Devagar, comendo pelas beiradas, mostrando a cara sem que percebam, em breve eles conquistarão bem mais do que apenas as beiradas, pois talento, carisma e conteúdo não lhes falta.
Lucy Alves, Maciel Melo e Eugenio Avelino(Xangai), nossos representantes na grande mídia; Anastácia, representante na Virada Cultural.
Paulinho Rosa   (Mar/2016)