Enfim... Outubro!
Eita mês esperado!
Por vários motivos ansiávamos a chegada do mês de outubro.
Primeiro porque é o mês de aniversário do Canto da Ema; agora completamos doze anos. Doze anos de muito forró, cinco vezes por semana e sempre com muitas atrações variadas.
Quando chega o aniversário queremos, junto com os músicos, funcionários e principalmente o público, fazer uma grande festa. Tão grande que de uns 3 anos para cá ela tem 12 horas e por aí ficará. O grande problema é que as bandas, sempre tão próximas e amigas, querem quase todas participar.
Neste ano, por coincidência com o número de horas e o número de anos que festejamos, também serão 12 atrações entre bandas e trios, se bem que esse número deve crescer muito com os amigos que devem aparecer no dia. Já estão confirmados: Bicho de Pé, Diego Oliveira, Flavinho Lima, Mestrinho, Ó do Forró, Pé de Mulambo, Peixelétrico, Rastapé, Trio Bastião, Trio Nordestino, Trio Sabiá e Trio Virgulino.
Será um grande encontro do forró. Uma oportunidade de ver várias formações diferentes, modos variados e sotaques diversos de fazer a mesma coisa: forró!
E isso é bem a cara do Canto da Ema, ao contrário de algumas facções, e isto não é uma critica, gostamos do forró como um todo. Seguimos os ensinamentos de Gonzaga e fazemos como ele, ora com trio: zabumba, triângulo e sanfona, ora com banda: os três instrumentos e mais o que você quiser desde que seja bem colocado.
Por isso tudo, dia 6 sendo você forrozeiro ou não, venha ao Canto da Ema, ver a nova cena paulistana, com a glamorosa participação do Trio Nordestino. Será um dia pra conhecer as diversas caras do mesmo ritmo, na formação tradicional e às vezes juntando rabeca ou guitarra, baixo, bateria, percussão ou mesmo tudo junto. Não é que fica bom?!
Para completar os festejos de aniversário, Dominguinhos vem ao Canto da Ema dia 07, para mostrar mais uma vez toda a sua categoria e carisma. Será possível que alguém só faça as coisas bonitas sempre? Dominguinhos é assim: cada acorde, cada frase de sanfona, sua voz, suas músicas e sua presença de palco, além da pessoa incrível, é tudo bonito. Salve Dominguinhos, esse aniversário vai ser bom demais!
Outubro também é um mês de eleição, chega a hora de decidirmos o futuro de nossa cidade. Hoje, diferente de tempos atrás, acho que não acredito muito mais em um partido, mas sim em pessoas.
Difícil palpitar no executivo, mas acho que no legislativo temos a responsabilidade de eleger pessoas afinadas com nossas grandes causas, como educação, saúde, transporte e segurança, mas também com a cultura, que acaba influindo em tudo isso. E precisamos nos preocupar com as nossas pequenas causas, como a cultura popular e, consequentemente, o forró. Se houver uma pessoa que eleita vá votar em projetos sempre visando a melhoria da cidade como um todo e não ajudando pequenos grupos financeiros, e que ainda for alinhado com a cultura popular e também com o forró, pois é um elemento importantíssimo de nossa cultura, aí acho que vale a pena votar e indicar.
Existem candidatos a vereador, independente de partido, alinhados com essa postura e acho legal que nós, amantes de cultura, apreciadores da cultura brasileira e amantes da cultura brasileira nordestina que tem o forró como carro chefe, temos que estar bem atentos. (Existe mais de um com essa posição, um deles eu conheço é o Gabriel Medina 13321.)
Por fim outubro será o mês de lançamento do filme "Gonzaga de Pai pra Filho" de Breno Silveira.
Já vi o filme e confesso que chorei umas 10 vezes. Se o filme não é uma apologia a Gonzagão como esperava e não faz a pessoa ficar com vontade de dançar forró ao sair do cinema, é uma história extremante sensível de um dos heróis brasileiros em sua relação com seu talentosíssimo filho. A trajetória de Gonzagão é emocionante, mas a vida de artista fez com que tivesse uma convivência pequena e atribulada com seu filho Gonzaguinha.
O filme é lindo e conta com a presença de um velho amigo e bom sanfoneiro que é o Chambinho do Acordeon. Ele é quem faz o papel de Gonzaga na fase adulta e desempenha sua face de ator de maneira convincente demais. Mas é quando pega a sanfona que a gente fica mais feliz, começando com um "Vira e Mexe" delicioso.
Chambinho, que até então não tivera grandes oportunidades como músico solo, agora recebe convites e mais convites para shows e apresentações. Até mesmo no Canto da Ema, pois a repercussão do filme já começa a fazer barulho. Que bom pra ele, além de talentoso é batalhador e uma pessoa muito boa. Tomara que tenha respingos no forró.
Esse outubro promete!
Paulinho Rosa  (Out/2012)