Avenida Rei do Baião
Com todo o devido respeito, deveria ser proibido político ter nome colocado em ruas, principalmente ruas importantes. Na verdade, nem vielas eles mereciam.
Vivemos em um país imenso, com clima bom, sem terremoto, quase sem revolução, ao menos nada significativo, com terra pra plantar, potencial turístico, de pesca, hidrografia privilegiada, além de sol, ventos, praias lindas e um povo que de tão misturado, em razão das diversas etnias aqui presentes, que acabou por se transformar em talentos extraordinários, seja na cultura, no esporte ou na ciência, mesmo sem ajuda nenhuma.
Se não estamos como principal potência é culpa de quem administrou tudo isso aqui até agora. Como diz uma piadinha antiga, um santo qualquer reclamou de todas essas benéfices que citei até agora (clima, povo, terra, rios, praias, etc., etc. e etc.), que era coisa boa demais para um país só, mas Deus, seja Ele qual for, avisou "espera até ver os políticos que lá vou pôr.".
E não é que foi isso mesmo? Com tudo isso e porque são eles próprios que dão os nomes às ruas em importantíssimos projetos de lei é que existem inúmeras ruas, aeroportos, viadutos, estradas, pontes, túneis, praças e mais um monte de locais com essas aberrações de nomes, desses que sempre evitaram que fôssemos o país que podemos e merecemos ser.
Proponho aqui, diante de tudo isso, que seja proibido colocar nomes de políticos em qualquer obra ou rua deste país. De agora em diante os nomes deverão ser o dos verdadeiros heróis merecedores deste país, que são os que conseguiram boas coisas para o país, além de fama nacional e internacional elevando o nome Brasil, e não criando a fama de violência e corrupção que temos, tudo isso sem qualquer ajuda ou apoio. E nisso coloco principalmente músicos, atores, artistas em geral, intelectuais, cientistas e esportistas.
Aqui não quero me posicionar partidariamente ou ideologicamente, mesmo porque em mais de 100 anos de república os partidos e ideologias já variaram muito, mas não seria muito melhor o Canto da Ema ao invés de estar na Avenida Faria Lima se encontrar na Avenida Luiz Gonzaga? Faria Lima foi um prefeito da Arena; extinto partido do governo militar que nada tinha a prestar de contas do que fazia. Se construía uma estrada lá vinha um monte de propaganda a respeito, nunca ninguém soube o custo de tudo isso, mas, se falássemos contra ou levantássemos qualquer dúvida a respeito, íamos para o DOI-CODI; simpático espaço que torturava e obrigava pessoas a confessarem o que nunca fizeram. Já pensou se ao invés desse homenageado tivéssemos mesmo Luiz Gonzaga? Que orgulho ter o criador do baião como homenageado deste corredor. Provavelmente até o trânsito fluiria melhor devido a constante e auspiciosa lembrança daquele que criou ritmos que também fluíam bem, como o baião, forró e xote.
Seguindo esse pensamento, os bairros podiam ser divididos por conjuntos específicos de atividades interessantes do país, por exemplo, bairro das artes, esportes, cinema e etc. Pinheiros seria o bairro Forró (sem nenhuma proteção corporativa). Avenida Luiz Gonzaga, Praça Jackson do Pandeiro, Túnel Marinês e Sua Gente, Ruas Ary Lobo, Trio Nordestino, João do Vale e etc. Melhoraríamos nossa cultura, pois saberíamos quem eram e qual a sua arte em que tipo de local estava. Dessa forma, mudando o nome de Pinheiros para Forró começaríamos a criar uma cultura e educação dos legados deste país, pois decoraríamos o nome das ruas e sabendo que lá é o bairro Forró, logicamente todas as denominações seriam de músicos relativos ao tema. Assim, finalmente as pessoas conheceriam um pouco mais de um dos itens mais bonitos da nossa cultura popular.
Alguns bairros podiam ser de jogadores de futebol importantes do passado, outro de atletismo, outro de grandes cientistas, outro de escritores, outro ainda de cineastas e atores. Tem item que não acaba mais em um país tão talentoso.
Mas não quero me esquecer totalmente dos políticos, como a criminalidade anda alta e a corrupção disputa no mesmo patamar, poderíamos ter inúmeros presídios para colocar o nome desse pessoal e aí sim, fazer as devidas homenagens, nomeando esses espaços com os nomes de nossos representantes do executivo e legislativo, então saberíamos de cara, pelo nome do presídio, que tipo de bandido lá se encontra, e também não nos deixaria esquecer em quem não devemos mais votar.
Tenho certeza que com essas mudanças a cidade seria muito mais charmosa e atraente. Alguém que viesse de avião para a cidade desceria no aeroporto Adoniran Barbosa (Congonhas), pegaria a Avenida Emerson Fitipaldi que passaria bem perto do já existente Túnel Ayrton Senna, caindo no Parque do Ibirapuera, onde andaria pela Avenida Brasil até cair na Avenida Jackson do Pandeiro (Rebouças), e dali descê-la toda até chegar à Avenida Luiz Gonzaga e já entrar no clima para cair com tudo no forró do Canto da Ema. Bom né?
Pra começar uma primeira atitude seria fácil: na Vila Mariana existe uma importante avenida chamada Domingos de Moraes, nesse caso era só colocar o José antes e a opinião pública só chamaria pelo apelido da avenida: Dominguinhos!
Paulinho Rosa  (Ago/2012)