Horário Louco
Tudo bem que novela é ótimo, que futebol é ainda muito melhor e que tentar fazer mais de um programa na noite é recomendável pra quem tem fome de vida e de aproveitá-la, mas porque chegar sempre tão tarde nos eventos e principalmente no forró?
Excetuando-se o domingo que tem um horário quase vespertino e, para alguns, até com cara de matinê, os demais dias da semana em que abrimos a casa o horário é excessivamente tarde. No domingo a coisa funciona, e bem, abrindo mais cedo. Alguns reclamam da nossa rigidez em fechar pontualmente à meia noite, mas como Cinderela virava abóbora, passado o dia seguinte as pessoas começam a sentir o peso do início da semana já com uma noite mal dormida, por isso dormir meia-noite e pouco ou uma hora da manhã, o prejuízo físico fica bem menor. Se esticássemos mais uma horinha apenas, as pessoas, provavelmente, já não chegariam às 20h e aí o que era pra ser esse horário mais cedo viraria mais uma noitada.
Já, há muito tempo, discutimos aqui dentro do Canto da Ema se devemos ou não começar a abrir a casa mais cedo. Se pensarmos bem 22h30min é muito tarde para as quartas e quintas, ainda mais se lembrarmos que as bandas e trios costumam entrar por volta de 01h. Mesmo nas sextas e sábados achamos que a entrada das bandas a meia-noite e meia, uma da manhã e, às vezes, até as 01h30min é também bastante inconveniente, mas fazer o quê? As pessoas só chegam depois da meia-noite, mesmo as quartas e quintas
Alguns vão dizer que chegam esse horário porque sabem que as bandas começam tarde. Nós já tentamos começar antes e nunca deu certo. Era e é sempre muito ruim ver os músicos tocarem para poucas pessoas, pois o show perde aquele calor que só a interatividade entre banda e público proporciona. Ou seja, quem nasceu primeiro? O ovo ou a galinha? Chegam tarde porque abrimos tarde ou abrimos tarde porque chegam tarde?
Sei lá, mas gostaria de mudar esse quadro, ou melhor, esse horário.
Em Londres a maioria dos bares é obrigada a fechar às 23h, o que faz com que as pessoas saiam direto do trabalho para os pubs e assim dormem no máximo meia-noite e meia e estão prontos para trabalhar e estudar no dia seguinte. Algumas baladas obtêm licença para ir até mais tarde, mas nunca muito mais que duas da manhã. Isso significa que podem ir à balada de segunda a segunda. A TV Globo de lá é que não deve ficar muito feliz com isso.
Claro que não quero copiar esse modelo para nós brasileiros, mesmo porque há uma diferença absurda na qualidade do transporte público de lá e o daqui, também um abismo de distância entre os tamanhos das cidades e existe ainda o fator trânsito na hora do rush, que impede qual quer um de chegar aos locais em horários cedo, pois o trânsito fica até 19h ou 19h30min e às vezes até mais. Portanto como chegar cedo em casa, jantar, tomar um banho e sair pra balada? A nosso favor temos a temperatura daqui, na maioria das vezes nos convida a sair de casa e ficar até de madrugada aproveitando nosso clima tropical.
Mesmo com tudo isso poderíamos conseguir que as coisas ficassem um pouco menos tarde. Sei que tem locais que são ainda piores, mas isso não é desculpa para não tentarmos pensar em algumas adaptações e mudanças que viessem a ajudar com esse horário maluco que trabalhamos.
Levando em conta todos esses fatores, poderíamos começar a pensar em adiantar um pouco nossos relógios para a hora de sair de casa. Quem sabe se abríssemos o Canto da Ema às 21h e as bandas entrassem às 22h30min, poderíamos encerrar a noite lá pelas duas da manhã. Dessa maneira poderíamos contribuir para a presença de mais pessoas, desde aqueles que trabalham cedo, pois poderiam voltar para casa lá pela meia-noite após 3 horas de diversão, bem como os notívagos que teriam a opção de esticar um pouco mais e mesmo assim estarem prontos na manhã seguinte para as atividades diurnas.
Todos muito mais descansados depois de uma revigorante noite de sono e, principalmente, dispostos, alegres e felizes por terem tido uma excelente, divertida e saudável noite de forró.
O que acham?
Paulinho Rosa  (Set/2011)