Trocando de Roupa
Agora o Canto da Ema é azul e verde, afinal estamos em ano de copa e eleições. Teremos muitos bons motivos para trajarmos as cores da nossa bonita e colorida bandeira. O hexa que se aproxima sob a batuta de Dunga, o talento de Kaka e cia. e as eleições, que se tivéssemos um pouquinho de responsabilidade mudaríamos TODOS para ver se algo realmente muda neste país, ao menos moralmente e eticamente, já que a economia parece que encontrou seu rumo. Lógico que mudando todos, alguns bons perderíamos, mas mandaríamos embora muitos péssimos. Como este espaço não é de política e sim de forró, voltemos às mudanças de cores.
Além dos motivos acima comentados, este é o ano em que completaremos 10 anos de Canto da Ema. Como bom aniversariante que se prepara para a festa o Canto mudou de roupa e se trajou para receber os convidados, e esperamos que sejam muitos durante o ano inteiro.
Muitos não sabem, mas é uma grande conquista estes 10 anos. Raríssimas vezes alguma casa noturna atinge este tempo. Invariavelmente este tipo de empreendimento é regido por modas passageiras. Somos quase sempre reféns do que as rádios e televisões veiculam ou dos que os EUA e Europa acham que devemos consumir. O Canto da Ema, na contramão do sistema optou por trabalhar com o ritmo nacional, o que já contradiz uma das regras do mercado e de estar alheio ao que a mídia determina. Conseguimos nestes dez anos ser o que sempre quisemos: ser referência do forró na cidade de São Paulo.
Trabalhar única e exclusivamente com o ritmo criado por Gonzaga foi aposta do coração dos proprietários, mas também pelas respectivas cabeças, pois não se maculando, nem se prostituindo diante das "facilidades" que a moda propõe e a ilusão que ela cria ao vermos as casas sazonais lotadas cobrando preços muito altos, conseguimos manter por muito tempo a casa cheia e com clientes fiéis. Aqui e para os nossos frequentadores o marketing tem pouca influência, afinal pra que pagar mais, por alguém que dá menos? Menos som, menos conforto, menos organização, bebidas mais caras, tudo só pra estar mais na moda ou para ser mais exclusivo.
Se pegarmos as publicações que falam das grandes casas da noite de São Paulo nos últimos anos, veremos que as que foram eleitas as melhores já nem existem mais. Já o Canto da Ema continua aqui, firme e forte, com atrações sempre muito legais e, principalmente, com um público de dar inveja a qualquer um. E não me refiro apenas à quantidade, mas, sobretudo a qualidade, pois nunca temos brigas, raríssimas exceções de excesso de bebida ou coisa que o valha e pessoas que apostaram na cultura nacional, em um ritmo ignorado pela mídia, mas amado por grande parte dos brasileiros, paulistas e paulistanos.
Estamos preparando uma grande festa, queremos marcar esta data tão importante. Mas é fundamental realçar que todas as datas têm sido importantes, cada dia, cada forró, cada "três últimas da noite" (a frase que anuncia o quase fim do forró dita as vésperas de encerrar cada noite do Canto da Ema) é um grande acontecimento. É mais uma festa que se acaba já esperando a próxima. Enfim foram mais algumas horas em que conseguimos dar alegria a centenas de pessoas, foram mais alguns casais formados e que como tantos outros anteriormente podem acabar no altar ou com mais um futuro forrozeirinho(a). Foi mais um dia que um ritmo delicioso, bem brasileiro embalou as pessoas e se manteve vivo e se expandindo.
Isso tudo acontece há 10 anos. Temos ou não motivos para nos arrumar para a festa?
Feliz 2010! Esperamos por você!
Paulinho Rosa  (Jan/2010)