A Voz do Brasil é Marvin Gaye
Ainda embasbacado com a apresentação de Lucy no The Voice Brasil, tentei me recompor e voltar à serenidade assistindo alguns dos demais concorrentes para saber até que ponto a minha paixão pelo forró e admiração, já de longa data, pela menina morena brejeira talentosa, não haviam maculado a minha visão e audição.
À medida que ia ouvindo os demais candidatos, uma surpresa e muita indignação passou a tomar conta de mim: o The Voice Brasil, como quase tudo o que se refere à cultura neste país, sucumbe à dominante música norte americana. Parece discurso de esquerda da década de 70, mas não é. Para nós que trabalhamos com cultura brasileira, dessas arraigadas mesmo, com raiz no nordeste e galhos se expandindo por todo o país, sabemos bem o que é lutar contra o que a mídia adora comprar e vender, que não é a musica original do nosso país, mas sim os originais, quando não os similares, provenientes da terra do Tio Sam.
Peço mais uma vez desculpas por esta critica, que pode parecer enfadonha e velha, mas dos vídeos mais vistos do programa um me chamou a atenção: foi um cujo cantor fora presenteado pelos 4 jurados apertando os botões emocionados com a voz e a interpretação parecidíssimas com a de Marvin Gaye. Já havia visto vários; a grande maioria, que despertou sorrisos e cenas de euforia explícita dos jurados, era de músicos que "imitavam" gringos ou cantavam músicas em inglês. Mas foi quando vi o Marvin Gaye cover é que eu definitivamente fiquei desolado.
O que o The Voice quer é mesmo uma The Voice e não uma voz. O que eles alardeiam sobre procurar a Voz do Brasil mais parece ter, como intuito verdadeiro, transformar a nossa linda, criativa e diversificada voz em algo Globalizado cuja referência é a norte americana.
O cara cantava igualzinho ao Marvin Gaye, rouco como os tradicionais cantores de soul music, negro como quase todos eles, (embora os jurados não o visse até então) e imitava exatamente o modo de cantar a música que era de quem??? Marvin Gaye. Portanto, o The Voice poderá eleger o Marvin Gaye Brasileiro? Oxalá!
O nosso Brasil, gigantesco, continental, diversificado, com inúmeros estilos musicais, fica de joelhos para Marvin Gaye. Eu adoro Marvin Gaye, adoro a música soul e o Blues americano e acho que no The Voice Original, o americano, seria ótimo encontrar esse tipo de voz e interpretação, mas nada me tira da cabeça que a ousadia , o talento e a originalidade daquela menina linda, de pele cor de canela, voz forte e delicada ao mesmo tempo, acompanhada de uma sanfona chorosa deveria ter tido mais destaque. Lucy foi tão genial, que nem ao menos imitou as grandes cantoras do forró. Fez do seu jeito, com seu arranjo, a sua voz sem querer parecer Marinês ou Elba, duas das rainhas do ritmo. Caso ela as usasse como referência teria sido lindo, mas aí não seria ela. Aliás, a Lucy fez como sempre faz, escrevendo com originalidade a sua música dentro do universo da MPB.
Quando Ellen ganhou no outro ano, embora com música brasileira, o jeito era das cantoras americanas, que aliás são geniais, mas não gosto muito dessa Globalização da cultura, ainda mais quando é toda baseada nas influências dos países mais ricos.
É bem verdade que o reggae, a salsa e alguns outros ritmos também ganham o mundo, mas eu trabalho com forró e, mais que isso, amo esse ritmo, e acho que Luiz Gonzaga, Dominguinhos, Jackson do Pandeiro teriam perfeitas condições de serem influências positivas e mundiais, caso o Brasil fosse economicamente forte e educado como país de primeiro mundo. Assim fosse, e talvez o BB King fosse Dominguinhos, os Beatles, Gonzaga e, quem sabe, no The Voice Brasil mais jurados tivessem "virado" para Lucy e, então, os vídeos dela teriam tido mais votos do que o do Marvin Gaye...ops, que os do cópia do Marvin Gaye.
Eu voto na Lucy!
Paulinho Rosa  (Nov/2013)