Festival de Rutes?
Piscina, gente legal, amigos do forró, galera nova por conhecer, alguns dias todos juntos curtindo piscina, esportes e principalmente muito forró. Alguns vão conhecer outras pessoas e vão ficar, amigos novos por fazer e muita descontração e felicidade. Afinal o forró por si só proporciona isso. É um dos ritmos mais brasileiros e gostosos oriundo do nordeste deste país, continente onde se fala essa linda língua, o português. Portanto, todos prontos e vamos nós pro Roots alguma coisa. Roots? Não é roto? Nem Rutes? Um encontro de mulheres de nomes Rute? É roots mesmo? Mas o que é roots? Bom, Roots é raiz em inglês.
Então, só pra entender direito. Forró: um ritmo bem brasileiro, do nordeste, o que parece ser ainda menos afeitos às influências imperialistas americanas, que sempre teve o povo mais carente como consumidor e provedor, portanto, menos ainda ligado a língua inglesa, um ritmo criado por Luiz Gonzaga do Nascimento, tem como importante festa de encontro um Roots alguma coisa. Algo deve estar errado.
Nada contra o encontro, pelo contrário, deve ser muito legal. Eu nunca fui, mas tenho inúmeros amigos que foram e que pretendem ir aos próximos, pessoas queridas e que confio que falam maravilhas. Tanto deve ser verdade que os Roots proliferaram. Só se copia o que funciona, vide o Arrumadinho que eu criei e virou quase sinônimo da proposta que eu tinha; uma espécie de Jam Session de forró. Mas em vez de fazer "Jam Session" fica o "Arrumadinho", um nome mais coerente com o ritmo a ser trabalhado.
Que eu saiba quem usa muito "roots" é o pessoal que trabalha com reggae. O roots vem da proposta inicial dos jamaicanos, de Bob Marley principalmente, um gênio, tal qual Gonzaga, que é o grande nome do ritmo referência de seu país. A grande diferença dos Roots jamaicanos pros nossos copiadores aqui no Brasil, é que os de lá tem como língua nativa o inglês e a gente (ainda bem) o português. Se a idéia seria falar em algo como "forró raiz", verifica-se uma grande incoerência, pois a raiz do ritmo é em português. E que ninguém me venha com aquele velho discurso que a imprensa adora de que forró veio de for all.
Daqui a pouco vão falar que os trios formados por drum, accordion e triangle é a formação the best do for all.
Na boa, Gonzaga já brincava com isso na impagável música de seu filho From United States Of Piauí* e parece que o recado do Rei do Baião, não King do Baião, é rei mesmo, não adiantou pra nada.
Até nós do Canto vez por outra escorregamos, pois usamos VIP (Very Important Person) em vez de cortesia. Neste caso foi uma licença de tamanho, mais fácil de acomodar no pequeno espaço que temos, além de a palavra já ser abrasileirada e usual em textos em português (está até no dicionário). O que nos tira um pouco da incoerência que os Roots mantêm.
Faz alguns anos, revoltados com essa mania brasileira com as coisas lá de fora e o "No Stress" criamos a nossa camiseta: "Não se Avexe", que tem tudo a ver com o nosso ritmo, não só as palavras e a língua usada, como o sentido.
Credicard Hall, Delivery, 50% off, Sale, etc, etc, etc. Tudo isso acaba passando, mas Roots com forró é um pouco demais.
Odeio por subtítulo para o ritmo que amo tanto, nem pé-de-serra que às vezes também uso eu gosto, pois forró é um só. Se alguém precisa de subtítulo é quem faz algo diferente ou derivado do ritmo de Gonzaga. Na verdade, alguns usam o nome erroneamente em ritmos que nem forró são, ajudando a aumentar o preconceito do nosso amado forró.
Tomara que os festivais e eventos de forró continuem, tomara que os produtores que os fazem, continuem trabalhando e contribuindo com o ritmo, vou torcer para que tenha cada vez mais e melhores. Que consigam abrir as portas para um novo público e para as bandas e novos compositores, tudo isso faz bem para o ritmo. Mas por favor, façam forró, festival de forró, Forró Raiz, Forró Original, Forró alguma coisa festival raiz, se for pra brincar com Woodstock que faça Raiztock, mas Roots Não!

* From United States of Piauí (Gonzaguinha)

From United States of Piauí
A minha prima lá do Piauí
Deixou de fazer renda só pra ver novela
A minha prima lá do Piauí
Não bebe mais garapa vai de Coca-cola

Luz de candeia não se usa mais
Luz artificial substitui o gás
Calça de couro, alvorá de brim
Deram seu lugar pra tal de calça Lee

A minha prima escreveu pra mim
E não fala venha cá, só fala come here
Vou mandar minha resposta breve
Para o United States of Piauí
Paulinho Rosa  (Abr/2009)